Menu

                          Visite o Blog

                          Visite o Blog

Existem alguns medicamentos que devem ser evitados por pacientes com Miastenia, devido a risco de piorar os sintomas da doença. Em caso de dúvida, consulte seu médico neurologista, pois podem haver exceções e/ou alterações de caso para caso, já que uma boa parte dos medicamentos abaixo podem ser bem tolerados por pacientes com doença bem controlada.

O ideal é ter essa relação genérica sempre consigo. No caso de uma emergência, essa lista pode ser muito importante.

  • Relaxantes musculares maiores: pancurônio, succinilcolina, d-turbocurarina.
  • Relaxantes musculares menores: benzodiazepínicos, baclofen, dantrolene, meprobamato.
  • Antimicrobianos
    • com risco: aminoglicosídeos, tetracilina, lincomicina, clindamicina, polimixinas, bacitracina.
    • duvidosos: ampicilina, eritromicina, sulfamidas.
    • sem risco: penicilina, cloranfenicol, cancomicina, cefalosporinas.
  • Antimaláricos: quinino, cloroquina.
  • Cardiovasculares: quinidina, procainamida, lidocaína (principalmente via sistêmica), guanetidina, trimetafan, betabloqueadores, sulfato de magnésio, reserpina, antagonistas do cálcio.
  • Anticonvulsivantes: hidantoínas, barbitúricos, benzodiazepínicos, etossuximida, trimetadiona.
  • Psicotrópicos: benziodiazepínicos, carbonato de lítio, antidepressivos tricíclicos, inibidores da MAO, neurolépticos (fenotiazinas e butirofenonas).
  • Analgésicos: morfina, dipirona magnésica.
  • Anti-reumáticos: d-penicilamina, cloroquina, colchicina.
  • Hormônios: ACTH e corticosteróides (usar só com acompanhamento neurológico), ocitocina, anticoncepcionais.
  • Anestésicos gerais: éter, clorofórmio, ketamina, metoxifluorano.
  • Anestésicos locais: lidocaína (dar preferência ao uso com vasoconstritor).
  • Anticolinérgicos
  • Anti-histamínicos
  • axantes e enemas: diminuem a absorção de anticolinesterásicos e depletam potássio. Alguns possuem magnésio em sua composição.
  • Imunizações: vacina e soro antitetânico.
  • Outros: amantadina, aprontina (trasylol), antiácidos contendo magnésio, inimidores de anticolinesterase (usar só com acompanhamento neurológico), levofloxacino (diversos pacientes relataram fraqueza muito acentuada), contrastes iodados.